Conselho da Comunidade paga serviços funerários para família de preso que morreu no CMP

O Conselho da Comunidade da Comarca da Região Metropolitana de Curitiba ajudou o Complexo Médico Penal (CMP) nesta quinta-feira (23) a pagar os serviços funerários de transporte do corpo de um preso de 73 anos que faleceu nesta manhã. O órgão também pagou a urna mortuária e o serviço de tanatopraxia (embalsamento). O corpo será levado para Serranópolis do Iguaçú, município de 5 mil habitantes que fica nas imediações de Medianeira, Oeste do Paraná.

Ele estava há apenas dois dias no CMP. De acordo com as informações do seu processo, ele foi preso em junho deste ano, era analfabeto e não tinha profissão. Ele apresentava problemas crônicos de saúde e foi levado para o CMP justamente para receber tratamento especializado. Segundo as informações médicas da unidade, ele teve uma parada cardíaca e não resistiu.

De acordo com a unidade prisional, os familiares afirmaram aos assistentes sociais que não têm condições de pagar o transporte e a preparação do corpo para o velório. O homem foi recolhido pelo Instituto Médico Legal (IML) de Curitiba. A liberação deve acontecer na manhã desta sexta-feira (24).

É a segunda vez neste ano que o Conselho da Comunidade ajuda uma família humilde com serviços funerários. Em maio, outro preso faleceu na unidade e foi encaminhado para Guaíra. “É uma situação que obviamente nos entristece muito, mas pelo menos eles são encaminhados para perto da família. Muitos presos do CMP são do interior”, afirma Isabel Kugler Mendes, presidente do órgão.

Complexo Médico Penal, em Pinhais