Depen retira presos condenados de delegacias de Curitiba

O Departamento Penitenciário do Paraná (Depen) retirou nas últimas duas semanas todos os presos condenados (homens e mulheres) que estavam em delegacias da Polícia Civil, em Curitiba. No total, 262 presos (221 homens e 41 mulheres) deixaram as carceragens improvisadas da capital e foram encaminhados para o sistema prisional de Piraquara. As últimas remoções aconteceram nesta sexta-feira (8).

A intenção do Depen é retirar todos os presos condenados das carceragens de delegacias de todo o Paraná. “O Estado tem ciência do problema da superlotação em delegacias, por isso estamos trabalhando dia e noite para amenizar esse quadro. A retirada dos presos condenados é o primeiro passo”, afirma o diretor do Depen, delegado Francisco Caricati.

A ação foi possível graças ao empenho coletivo de Depen e outros órgãos envolvidos, como Tribunal de Justiça do Paraná, Ministério Público, Defensoria Pública e Conselho da Comunidade de Curitiba, no último mutirão carcerário. A ação abriu mais de 400 vagas no regime fechado.

Mulheres

Somente a Penitenciária Feminina do Paraná (PFP) abriu 115 vagas no mutirão: 30 mães ou gestantes passaram para o regime domiciliar, 28 foram beneficiadas com o Indulto de Dia das Mães, 36 obtiveram a tornozeleira eletrônica e as demais tiveram livramento condicional ou regime aberto. Isso só foi possível graças ao trabalho coordenado pelo Grupo de Monitoramento e Fiscalização do Sistema Penitenciário do Paraná (GMF-PR), que orienta as diretrizes dos mutirões carcerários.

Com isso, todas as mulheres (condenadas e provisórias) que estavam nas delegacias de Curitiba e região metropolitana estão sendo removidas para a PFP. Na próxima semana, as últimas 12 presas que estão no litoral serão removidas para a penitenciária.

O Conselho da Comunidade de Curitiba ajudou a unidade com dinheiro para pagar as passagens de ônibus das mulheres forasteiras que estavam custodiadas na PFP. O projeto Volta Para Casa, promovido pelo órgão, oferece oportunidade do preso que saiu do regime fechado ser reinserido na família, vez que inúmeros detentos das penitenciárias da capital são do interior.

MAIS

ARTIGO – Senado institucionaliza demagogia ao aprovar projeto para preso pagar a própria custódia

Quadros de presos do CMP participam de exposição mundial de arte carcerária

Governo do Paraná divulga processo seletivo para contratar 1.156 novos agentes