Preso morre na Casa de Custódia de Piraquara três dias antes da progressão

M.N.V., de 27 anos, foi encontrado morto dentro de sua cela na Casa de Custódia de Piraquara (CCP), nesta terça-feira (30). Ele estava alocado no shelter 73 ao lado de outros 12 presos e tinha previsão de soltura para o dia 2 de novembro, segundo o extrato de execução penal. Ele era morador de Pontal do Paraná, no litoral do estado. As causas ainda não foram esclarecidas.

Ele tinha três condenações e acumulava passagens pelas penitenciárias de Piraquara entre 2012 e 2014. M.N.V. foi sentenciado a catorze anos por furto e roubo e se encontrava na rua até o ano passado. O Ministério Público pediu a conversão em regime fechado pelo somatório de sentenças e a juíza Amani Khalil Muhd Ciuffi, da Vara de Execuções Penais de Pontal do Paraná, aceitou a solicitação. Ele foi preso novamente em maio deste ano.

A última movimentação no processo aconteceu no dia 18 de outubro, quando a juíza Luciani de Lourdes Tesseroli Maronezi, da 2ª Vara de Execuções Penais de Curitiba, recebeu o processo da Comarca de Campina Grande do Sul. Ela viria a despachar sobre a soltura nesta sexta-feira. M.N.V. cumpriu 22% da pena imposta pelo Poder Judiciário nos três processos.

A Casa de Custódia de Piraquara abriga 1.500 presos, acima da sua capacidade normal, para 1.473 pessoas.

MAIS

Brasil ultrapassa 30 homicídios por 100 mil habitantes; Paraná é 7° melhor estado

Três presos são mortos na Casa de Custódia de Curitiba

ENTREVISTA – “Presídio autoriza as pessoas a viver na ilegalidade por vários anos”, diz coordenador da Pastoral Carcerária