Conselho da Comunidade realiza Natal para os presos e agentes pelo 4ª ano

Isabel Kugler Mendes reserva duas semanas por ano, todos os anos, para ouvir e conversar com presos

O Conselho da Comunidade da Comarca da Região Metropolitana de Curitiba realiza pelo quarto ano consecutivo o Natal de 11.400 presos e agentes das penitenciárias e delegacias. É a maior celebração dessa natureza de todo o Brasil.

A festa consiste em uma apresentação musical da dupla Bruno César & Leandro, uma mensagem ecumênica das pastorais católica e evangélica e um lanche que leva uma esfiha, uma cuca de goiabada e um refrigerante.

De acordo com Isabel Kugler Mendes, presidente do órgão, a iniciativa visa normalizar a execução da pena em consonância com o princípio da dignidade humana. “Esse é um momento difícil para os presos. Eles pensam muito na família. Também é uma data que tem uma mensagem simbólica de perdão, esperança, renovação. Para os agentes penitenciários também, que são um população invisível. A execução penal tem que ser satisfatória para todos, servidores e apenados, esse é um princípio cidadão”, afirma.

O objetivo final do projeto é desenvolver uma atividade de efetiva integração social, possibilitando aos apenados e agentes um dia de resgate de cidadania, de normalidade da vida cotidiana. “É o momento em que o Conselho da Comunidade escuta os apenados e os agentes e busca solucionar eventuais problemas para o novo ciclo, principalmente nas questões relacionadas aos acessos (sol, estudo e trabalho), dificuldades internas e relacionamento com os familiares”, afirma.

“E nesse ano é ainda mais primordial porque o país vive um dilema em relação ao sistema penitenciário. Ele é encarado como um grande problema nacional que precisa ser remodelado, mas os novos legisladores querem desenvolver essa mudança a partir da retirada da cidadania. Nós nunca experimentamos um sistema penitenciário ideal para se falar em cortes e privilégios”, completa Isabel Kugler Mendes, que separa duas semanas por ano, todos os anos, para ouvir e conversar com mais de 10 mil presos.

“Se a realidade que temos é de uma indústria do encarceramento fortemente subsidiada por uma indústria do crime, ambas alimentadas por uma sociedade doente, com vontade de punir, precisamos trabalhar com esse público da maneira mais humanizada possível. Isso se chama política pública. Esses ambientes não podem mais ser consumidos pela violência e submissão. A mensagem que levamos a estas pessoas é de que é possível recomeçar. E o Natal é a melhor data para isso”, completa a presidente do órgão.

Programação

3 de dezembro (segunda-feira)

Penitenciária Central do Estado (PCE) – parte 1

4 de dezembro (terça-feira)

Penitenciária Central do Estado (PCE) – parte 2

5 de dezembro (quarta-feira)

Penitenciária Central do Estado – Unidade de Progressão (PCE-UP)

Penitenciária Estadual de Piraquara II (PEP II)

6 de dezembro (quinta-feira)

Casa da Custódia de Piraquara (CCP)

Penitenciária Feminina do Paraná (PFP)

10 de dezembro (segunda-feira)

Penitenciária Estadual de Piraquara I (PEP I)

Colônia Penal Agroindustrial (CPAI)

11 de dezembro (terça-feira)

Casa de Custódia de Curitiba (CCC)

Casa de Custódia de São José dos Pinhais (CCSJP)

13 de dezembro (quinta-feira)

Complexo Médico Penal (CMP)

14 de dezembro (sexta-feira)

Delegacias de Curitiba

Internos da PCE-UP acompanham celebração do Natal
Presos da PCE-UP: 250 internos do regime fechado sem nenhuma algema
Presos e agentes convivem normalmente na PCE-UP
Preso usa espelho para observar movimentação do corredor
Isabel Kugler Mendes na Penitenciária Central do Estado, maior unidade de regime fechado do Paraná
Isabel Kugler Mendes conversa com presos da PEP II
Pastores da Igreja Batista conversam com presos na solenidade de Natal
Representantes da Pastoral Carcerária da Igreja Católica conversam com presos

MAIS

CNJ e ONU fecham acordo para enfrentar questão carcerária no Brasil

Câmara aprova prisão domiciliar para grávidas e mães de pessoas com deficiência

Paraná autoriza licitação de R$ 340 mil para automatizar unidades penais