Mutirão quer acabar com superlotação na Colônia Penal, em Piraquara

O Tribunal de Justiça autorizou a realização de um mutirão carcerário, a partir de segunda (20), para presos na Colônia Penal Agroindustrial (CPAI), em Piraquara, na Região Metropolitana de Curitiba. Serão analisados os processos dos detentos que possuem direito à progressão para o regime aberto ou ao livramento condicional já vencidos ou próximos de ocorrer, e não tenham falta grave homologada ou prisão preventiva decretada em outros processos.

A expectativa é que cerca de 300 presos sejam alcançados com a concessão do regime semiaberto harmonizado, com o uso de tornozeleiras eletrônicas. O mutirão vai até sexta (24). A CPAI tem capacidade para 860 presos, mas abrigava 177 a mais no dia 8 de maio. A superlotação não é um problema apenas da Colônia. As dez penitenciárias localizadas na Grande Curitiba, incluindo a CPAI, comportam 8.132 presos, mas abrigava até a primeira quinzena de maio cerca de 1,4 mil detentos a mais.

“A Colônia está superlotada. Hoje, os mutirões são as únicas alternativas para desafogar o sistema”, afirma Isabel Kugler Mendes, presidente do Conselho da Comunidade da Comarca da Região Metropolitana de Curitiba – Órgão da Execução Penal.