Conselho apoiou campanha de saúde na Cadeia Pública de Rio Branco do Sul

Anualmente, a campanha Outubro Rosa busca alertar as mulheres e a sociedade sobre a importância da prevenção e do diagnóstico precoce do câncer de mama e de colo do útero. Com o apoio do Conselho da Comunidade da Comarca da Região Metropolitana de Curitiba – Órgão da Execução Penal, foram realizadas ações de saúde em mulheres, transsexuais e homens detidos na Cadeia Pública de Rio Branco do Sul.

Os 98 custodiados (81 mulheres, 10 transsexuais e 7 homens) na unidade fizeram testes de detecção de doenças e exames. Foram constatados casos de sífilis e de lesões no colo do útero, uma detenta com nódulo no seio e outra com HIV.

“A ação foi uma  maneira de chamar a atenção das detentas para a importância da prevenção e diagnóstico precoce de várias doenças. As presas diagnosticas com algum problema foram encaminhadas para o devido tratamento”, afirma Carla Martins, gestora da Cadeia Pública de Rio Branco do Sul.

O evento contou com a participação de profissionais da Secretaria Estadual da Saúde, da Secretaria Municipal de Saúde de Rio Branco do Sul, da Epidemiologia e Laboratório do Complexo Médico Penal,  e estudantes de Enfermagem da Faculdade Claretiano. A alimentação da equipe foi comprada pelo Conselho.

“É muito importante esse trabalho de conscientização e prevenção. Essas pessoas merecem ter um tratamento penal digno”, reforçou Isabel Kugler Mendes, presidente do Conselho da Comunidade da RMC.

Campanha mundial

O Outubro Rosa é uma campanha anual realizada em todo o mundo no mês de outubro. A ideia surgiu na década de 1990 nos Estados Unidos. No Brasil, a ação começou em 2002, quando um monumento em São Paulo foi iluminado de rosa.

O câncer de mama é um tumor maligno que ataca o tecido mamário e é um dos tipos mais comuns. A cada ano são detectados cerca de 2 milhões de novos casos no mundo. A doença tem cura se for diagnosticada precocemente.